Escutas telefônicas mostram influência de deputado eleito na negociação de cargos no Detran/RJ, diz MPF

Escutas telefônicas, obtidas com exclusividade pela Globonews, mostram a influência de um deputado federal eleito pelo Rio de Janeiro no loteamento de cargos no governo do estado. Trata-se de Vinícius Farah, ex-presidente do Detran/RJ.

De acordo com o Ministério Público Dederal, o Detran do Rio era usado para distribuir cargos entre deputados em troca de apoio ao governo.

Uma das escutas flagrou uma conversa entre Farah e o governador em exercício, Francisco Dornelles. A ligação telefônica foi feita no dia 16 de outubro, poucos dias antes da Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava-Jato no Rio.

Na conversa, o então vice-governador Francisco Dornelles quer marcar uma reunião entre um empresário amigo dele e o presidente do Detran, Leonardo Jacob. Farah, que já não era mais presidente do Detran, diz que providenciaria o encontro.

Francisco: Eu queria te pedir um favor. Um grande amigo (…) é um homem da imprensa, empresário. Estava querendo saber se podia ser recebido pelo presidente do Detran.

  • Vinicius: Lógico! Eu vou estar com ele hoje à noite e já marco.
  • Francisco: Você me fala depois?
  • Vinicius: Eu te falo amanhã. Amanhã de manhã já te dou uma resposta.
  • Francisco: Está perfeito. Diz a ele que é um grande amigo (…).
  • Vinicius: Vamos embora. Fica tranquilo, está bom?
  • Francisco: Um abraço grande.

Para o MPF, a gravação é uma prova da influência que Vinicius Farah ainda tinha no Detran, mesmo tendo saído da presidência do órgão seis meses antes da conversa.

Farah foi preso no dia 8 de novembro, acusado de envolvimento no esquema de corrupção no órgão. Francisco Dornelles assumiu o governo do Rio com a prisão de Luiz Fernando Pezão, no fim de novembro.

Dornelles – que tem foro privilegiado – não é investigado na operação Furna da Onça.

De acordo com a denúncia, em abril deste ano, quando se afastou da presidência do Detran para concorrer ao cargo de deputado federal, Vinícius Farah deixou em seu lugar Leonardo Jacob, uma pessoa de sua inteira confiança – a fim de perpetuar o esquema de corrupção que já existia no órgão.

Para o MPF, a corrupção dos deputados estaduais do Rio não incluía apenas o recebimento de propina durante o governo de Sérgio Cabral, mas também o loteamento de órgãos públicos estaduais – formando um pacote de benefícios entregues aos parlamentares em troca de apoio na Assembleia Legislativa do estado.

“Todo esse contexto ajuda a compreender a dimensão política e econômica das indicações de mão de obra terceirizada, deixando evidente que a corrupção dos deputados estaduais ora denunciados não se fez apenas com o pagamento de propina na era Cabral, pois também se concretizou com o aproveitamento de outras vantagens igualmente ilícitas, aqui traduzidas pelo loteamento de órgãos públicos, divisão que integrava o pacote de benefícios entregues aos parlamentares como contrapartida pela prática de atos funcionais com desvio de finalidade”, enfatiza trecho da denúncia.

Segundo os procuradores, o Detran era o principal alvo de cobiça dos deputados. Isso devido à enorme quantidade de cargos terceirizados e vagas que podem ser preenchidas em diversas sedes na capital e em vários municípios do interior do estado.

A conversa interceptada foi feita nove dias depois do primeiro turno da eleição e nela Dornelles também parabeniza Vinicius Farah, que conseguiu ser eleito deputado federal pelo MDB. O então vice governador também convidou Farah a ingressar no partido dele, o PP.

  • Francisco: Meus parabéns. Que campanha bonita, hein?
  • Vinicius: É… foi… não foi mole não, não foi mole não, governador.
  • Francisco: Você vai brilhar lá. Vai tomar conta daquela Câmara toda.
  • Vinicius: (risos) Vamos com muita humildade.
  • Francisco: O sonho meu você sabe qual é: trazer você para o PP. No momento que você quiser, a primeira janela que abrir você vem correndo.
  • Vinicius: Então estou te dando a minha palavra, pode botar aí na sua agenda: primeira janela que tiver, eu estou fazendo o que eu devia ter feito.
  • Francisco: Estou te esperando. A primeira janela eu conto com você.
  • Vinicius: Vamos embora. Pode ter certeza que eu vou feliz.

De sua opinião