Campos vive surto de chikungunya e já soma mais de 1.500 casos

A Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Campos dos Goytacazes divulgou que até esta terça-feira (26) foram confirmados 1.594 casos de chikungunya. A cidade vive um surto epidêmico da doença.

Em todo o Estado do Rio, foram 8.963 casos até abril, mais do que o dobro de todo o ano passado, quando foram contabilizados 4.305 casos.

O órgão informou também que foram confirmados 90 casos de dengue. Não foram registrados casos de zika e febre amarela.

Segundo a Vigilância, cerca de 250 atendimentos são realizados por dia no Centro de Referência de Doenças Imuno-infecciosas (CRDI) da cidade.

Diante do aumento no número de casos, a Vigilância em Saúde divulgou que está fechando os números a partir de critérios clínicos, epidemiológico e, em alguns casos, sorológicos, ou seja, a partir dos sintomas já começa o tratamento. Antes, os casos confirmados só eram registrados a partir da confirmação diagnóstica sorológica.

“Há um aumento progressivo do número de casos não só em Campos, mas em todo o Estado do Rio de Janeiro. Por isso, as ações de prevenção no município serão intensificadas. Estamos em alerta, e precisamos contar com a participação de toda a população no combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, que é o transmissor da chikungunya, da dengue e da zika”, disse médica infectologista Andréya Moreira.

De acordo com o diretor do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Marcelo Sales, é de extrema importância que a população receba os agentes em suas casas e reserve 10 minutos por semana para verificar suas residências.

“A grande maioria dos focos tem sido encontrada em pratos de plantas e recipientes de água de animais. Contamos com o apoio de todos no combate ao Aedes aegypti”, explicou.

De sua opinião