Cadê o número do processo do precatório?

Opinião:

A mídia corporativa divulgou nas últimas horas um sequestro que foi feito nas contas do município de Campos, no valor de R$ 22 milhões.

Cadê o número do processo?

Todas as vezes que o jornal oficial da prefeitura traz uma notícia dessa magnitude, sempre revela o número do processo.

Estranhamente em um caso que atinge as contas do município deveria até mesmo o portal da transparência esclarecer o número do processo.

É que pessoas mal intencionadas estão atribuindo o sequestro do precatório dividas do governo passado.

Mais uma vez, como no projeto da taxa da procissão, estão querendo induzir a população em erro.

O pagamento de precatório é sempre feito até o dia 31 de dezembro de cada ano.

O atual prefeito assumiu em 1 de janeiro de 2017, e já estamos em julho de 2018.

Se os processos e os débitos pertencem ao governo passado se apresente os números das reclamações trabalhistas e dos processos de desapropriações.

É preciso parar com esse chororô, e parar de colocar nos outros as respostas de seus próprios fracassos.

A realidade é que existe uma dívida, segundo a atual administração, foi parcelada e não foi paga, e essa teria sido a razão do sequestro que ainda pode ser revisto pelo próprio tribunal.

Não está em julgamento nem a administração Rosinha Garotinho e nem tampouco a de Rafael Diniz.

Ocorre que na forma como foi divulgado o sequestro nas contas da prefeitura faz se necessário o esclarecimento dos números dos processos porque não se trata de divida nominal de administradores, mas do município de Campos.

O pior de tudo é que mesmo depois da taxa da procissão existem pessoas que ainda acham que quem estudou em Campos não sabe ler.

Enquanto isso o jornal oficial da prefeitura só falta colocar na conta da administração passada a desclassificação do Brasil na copa do mundo.

De sua opinião