O mundo dos comissionados na Assembleia do Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, até outro dia endereço de trabalho de Fabrício Queiroz, tem nada menos do que 4.200 funcionários comissionados.

(Atualização, às 17h20: O Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou um inquérito cível para apurar a desproporcionalidade entre a quantidade de servidores efetivos e comissionados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que segundo denúncias seria de 80%.

A investigação também irá se ater a suposta devolução de parte de remuneração de servidores comissionado para o gabinete do parlamentar que o emprega; e suposto enriquecimento ilícito de servidores e parlamentares.

A Alerj será notificada a esclarecer a quantidade de servidores, atribuições e para quais gabinetes são destacados. Além de informar se instaurou alguma apuração sobre a movimentação financeira de seus servidores após a divulgação do relatório da COAF.)

Fonte: Lauro Jardim, O Globo

Comente