Desembargador Federal nega revogar prisão para quatro deputados do Rio

Deputados Chiquinho da Mangueira (PSC), Marcus Vinicius Neskau (PTB), Coronel Jairo (MDB) e Luiz Martins (PDT)

O desembargador federal Abel Gomes, relator dos processos da Operação Furna da Onça (braço da Lava Jato), negou os pedidos de revogação das prisões dos deputados estaduais Marcus Vinicius Neskau (PTB) e Chiquinho da Mangueira (PSC). A mesma decisão também vale para os deputados Coronel Jairo (MDB) e Luiz Martins (PDT), que tentavam prisão domiciliar por motivos de saúde.

Gomes seguiu o Ministério Público Federal, que defendeu a permanência dos parlamentares na cadeia. “A prisão mostra-se imprescindível para preservar a ordem pública e garantir a aplicação da lei penal”, afirmou o procurador regional da República, Carlos Aguiar, no parecer.

Meteu atestado

Luiz Martins, por exemplo, apresentou atestados médicos antigos. De acordo com o MPF, esses documentos não provaram que o deputado teria uma doença grave, como a sua defesa alegou.

Remédio na cadeia

Os advogados de Coronel Jairo seguiram a mesma estratégia. Sem sucesso. Para o MPF, o deputado “tem uma doença há pelo menos dez anos e receberia os medicamentos na prisão”.

Segue…

No total, sete deputados foram acusados de participar do esquema de corrupção do ex-governador Sérgio Cabral (MDB). Outros três (Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo, todos do MDB) já estavam presos.

Fonte: Coluna Informe do Dia

Comente