CNJ determina que TRF-2 apure conduta de desembargador que fez campanha para juiz Witzel e condenou Garotinho

O Corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, determinou nessa terça-feira (9) que o Tribunal Regional Federal da 2ª Região apure a conduta do desembargador federal Marcelo Granado após reclamação impetrada pelo ex-governador Anthony Garotinho.

Garotinho alega na reclamação que o desembargador Marcelo Granado compartilhou post promovendo o candidato juiz Wilson Witzel durante a eleição do primeiro turno para o governo do Rio.

Após a declaração pública em apoio a Witzel, o desembargador Marcelo Granado aumentou a condenação de Garotinho por suposta formação de quadrilha armada no caso da operação Segurança Pública / SA em julgamento no começo de setembro, a pouco mais de um mês do primeiro turno das eleições para o governo do estado.

Ainda no dia de ontem o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, concedeu, no mesmo caso, habeas corpus preventivo para Garotinho (Confira: STF dá habeas corpus preventivo a Garotinho).

“Como se sabe, a nossa Constituição não é uma mera folha de papel, que pode ser rasgada sempre que contrarie as forças políticas do momento”, afirmou Lewandowski na decisão.

Logo abaixo a decisão do Corregedor Nacional de Justiça:

Um comentário em “CNJ determina que TRF-2 apure conduta de desembargador que fez campanha para juiz Witzel e condenou Garotinho

  • 10 de outubro de 2018 em 14:03
    Permalink

    Estamos mais confortados com essa decisão, porque não se pode mais conviver com essa Ditadura Judicial. Fomos impedidos de votar em quem confiávamos, por causa dessa atual política da justiça do Rio. O que nos faz suportar é saber que ainda existem alguns que não se curvam diante desses poderosos. Há juízes com credibilidade, apesar dos que não honram a toga. Deus É JUSTO. Nada fica impune diante dEle!

    Resposta

Comente