Americano aceitaria mudar data de clássico se tiver mais ingressos

Quem diz que futebol e política não se misturam certamente não conhece muito nem sobre o esporte e muito menos sobre a realidade dele no Norte Fluminense. Americano e Goytacaz são rivais históricos, mas têm histórias que até se confundem em certos aspectos, especialmente quando se trata das relações entre ambos. Apesar da rivalidade e das comuns provocações, é comum ver os clubes conversando em busca de um objetivo em comum. E é um acordo entre ambos que pode marcar um dos jogos mais importantes da Seletiva do Campeonato Carioca, marcada para começar em dezembro.

O clássico Goyta-Cano está marcado para a segunda rodada, a acontecer no fim de semana de 29 de dezembro. A partida, com mando do Goyta, acontecerá no Aryzão. O presidente alvianil, Dartagnan Fernandes, cogitou no entanto a possibilidade de mudar o jogo de data por conta das festas de fim de ano, imaginando que a antecipação do confronto em dois dias possa fazer os torcedores irem ao jogo em maior número. Em um primeiro momento, o Americano não pensa em jogar numa data diferente, mas também não fecha as portas para isso.

– Em princípio, o jogo é dia 29. Na verdade, ele será entre o Natal e o Réveillon e não vejo como fator de dificuldade atuar um ou dois dias a mais ou a menos. Acho que o público irá de qualquer maneira e o estádio está apto para receber, salvo engano, 5 mil pessoas, um número facilmente alcançado num jogo dessa proporção – diz o presidente alvinegro Carlos Abreu, que explica a seguir que até pode ceder ao pedido do rival, desde que também seja beneficiado com um montante maior de ingressos para sua torcida:

– Mas o Americano é um clube que discute essas coisas. Se for do interesse da Federação em alterar a data, evidentemente a gente vai querer se beneficiar de alguma forma. E a forma viável seria aumentar a destinação de público para nossa torcida, saindo de 10% para uns 30%. Aí, acho que eu aceitaria tranquilamente mudar o dia do jogo.

Após o Arbitral da última quarta-feira (17), os presidentes dos dois clubes eram vistos no hall de entrada da sede da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ), conversando em tom amistoso. Algum lado terá de ceder nas negociações visando o clássico de fim de ano mas, ao que parece, não é nada que uma boa conversa não resolva. Após a publicação da matéria, a diretoria do Goytacaz ressaltou que tem prioridade na quantidade de liberação de ingressos e que seguirá o Regulamento Geral de Competições (RGC) para tal*. Mas uma solução política pode agradar até dois rivais centenários.

Fonte: FutRio

De sua opinião